Cinema nacional: os meus filmes favoritos de 2021

A Nuvem Rosa foi um grande lançamento este ano

Chegamos na reta final do ano com as famosas listas de melhores produções assistidas ao longo de 2021. Aqui não seria diferente, mas como sou fã de listas curtas, vamos direto ao assunto? Neste post, reuni dez filmes divididos em duas categorias: os que assisti pela primeira vez em 2021 e dos lançamentos – nos cinemas e nos streamings – deste ano. Então bora aos rápidos comentários sobre?

5- Ana e Vitória, o Filme: uma história criativa que utiliza das músicas da dupla para contar sobre seus amores e suas novas formas de amar. Regina Navarro Lins se orgulharia deste filme.

4- Madame Satã: uma cinebiografia crua e sem piedade em que Lázaro Ramos mostra o que é atuação e entrega. A estética envelhecida contribui ainda mais para a imersão do drama.

3- Rio, Zona Norte: um clássico brasileiro em que o diretor Nelson Pereira dos Santos retratou a trágica vida de um compositor negro que está em busca de muitas coisas, mas sem deixar de acreditar na única coisa que lhe alenta: a música.

2- Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo: se eu já sabia que qualquer coisa que assistisse com Irandhir Santos era bom, imagina ouvir apenas a sua voz nesta viagem dentro de um coração partido pelas estradas tão solitárias quanto a sua própria vida. É algo que só assistindo para saber.

1- O Beijo da Mulher Aranha: um clássico brasileiro que fala de algo que a gente entende bem: a luta pelos nossos ideais, sem deixar de lutar pelo o que a gente mais acredita: no amor. É sobre amar demais sem precisar mais da nossa imaginação.

5- Turma da Mônica – Lições: como já dito na crítica, a sequência da Turma da Mônica nos cinemas é tão boa quanto o primeiro. Com carisma, leveza e muita maturidade, o longa já conquistou o seu espaço no imaginário cinematográfico brasileiro.

4- A Nuvem Rosa: praticamente um prelúdio do que já vivemos é que constantemente precisamos ficar em alerta em nosso presente. É chocante como a diretora Iuli Gerbase descreve com maestria os sentimentos do isolamento.

3- 7 Prisioneiros: é um dos filmes que mais me causaram conflitos internos por realmente não saber o que esperar, assim como não saberia reagir se estivesse na mesma situação. Rodrigo Santoro e Christian Malheiros estão sensacionais do início ao fim.

2- Deserto Particular: gosto como o filme de Aly Muritiba ficou comigo após a sessão. Trata a masculinidade tóxica e o moralismo religioso como ciclos que precisam ser cortados com aquilo que se tem de mais precioso: o amor.

1- O Novelo: não é surpresa para ninguém o quanto sou fã deste filme. Um drama familiar que une cinco irmãos e suas personalidades diversas que, querendo ou não, acabam se unindo por causa do pai que desapareceu há anos. São filmes como este que me fazem amar o cinema.

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s