Doutor Gama: histórias que o nosso cinema salva

Doutor Gama é daquelas histórias que merecem ser contadas e vistas nos cinemas. Se a gente aprende na escola sobre figuras históricas que construíram o Brasil e contribuíram para mudanças sociais de uma população, por que só fui ter conhecimento do advogado autodidata, jornalista e escritor Luís Gama (1830 – 1882) depois de adulta? Não é de se surpreender como tentam dificultar o acesso ao conhecimento neste país, mas o cinema sempre dará o seu jeitinho de espalhar a palavra.

Dirigido por Jeferson De, Doutor Gama é um drama biográfico carregado de importância social dentro de uma narrativa bastante convencional, porém com o diferencial de ser conduzido de forma honrosa e respeitosa tanto com a trajetória pessoal de Gama quanto ao modo de retratar a escravidão daquela época. Ao contrário do que já assistimos demais por aí, Jeferson De mostra não só a luta do advogado, mas de outros negros que também lutavam pela sua liberdade e dignidade à sua maneira. Destacando que todo meio de sobrevivência é justa. Ao retratar o racismo e a violência, o longa sabe os seus limites e exibe essas dores sem torná-las um espetáculo.

Dividido em três fases da vida do advogado, o personagem de Luís Gama é cativante desde dos seus primeiros anos de vida em cena com o pequeno Pedro Guilherme Rodrigues – que já vimos brilhar em Amor de Mãe – em seguida é a vez de Ângelo Fernandes interpretá-lo na sua juventude quando começa a aprender a ler e a escrever escondido dos patrões escravocratas para então, se tornar o famoso advogado que liberta os negros de suas sentenças pelas mãos de César Mello.

Em cada momento de sua trajetória é perceptível elementos simbólicos que moldaram a essência de Gama: o apego e as lembranças da mãe na infância, o despertar do empoderamento a partir dos estudos na juventude e a coragem de libertar os negros de suas sentenças na vida adulta. Para exemplificar quem foi e o que fez Luís Gama no filme, o protagonista aceita a missão de defender um escravo em um julgamento, do qual já estava condenado à morte, após matar o seu patrão. Carregado de emoção, César Mello dá o seu melhor discurso nas cenas no tribunal. “Um homem que assassina seu senhor, assassina sempre em defesa legitima”

Talvez este caso jurídico tenha sido pouco para mostrar quem foi esta personalidade histórica, mas acredito que Doutor Gama foi uma belíssima porta de entrada para conhecer um dos vários heróis abolicionistas, que a nossa história não conta, que realmente lutou pela liberdade dos negros deste país.

Doutor Gama está disponível na Globoplay.

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s