Christian Malheiros conta que foi um desafio solitário se preparar para atuar em “Sessão de Terapia”

Prestes a completar 22 anos em agosto, o ator Christian Malheiros já possui uma carreira com protagonismos. Estreou nos cinemas em 2018, protagonizando o drama Sócrates e, no ano seguinte, estava dando as caras na Netflix na série brasileira Sintonia, onde dá vida ao protagonista Nando. E, agora, ele pode ser visto na quinta temporada de Sessão de Terapia como o motoboy Tony, um dos novos pacientes do terapeuta Caio Barone (Selton Mello).

Para este papel, Christian conta que a preparação foi um desafio solitário, devido aos empecilhos da pandemia, além de ter sido um processo muito íntimo, onde houve “empréstimos” entre ele e o Tony. “Foi um processo de aprender a trabalhar remotamente, fiz pesquisa de longe com as pessoas, além de muita conversa e preparação com o Selton. Tinha coisa que eu estava emprestando ao Tony e ele também estava me emprestando. Foi como uma simbiose”, revelou.

Em Sessão de Terapia, Tony é um jovem negro, periférico, que lida constantemente com o racismo nos lugares que acessa, como é exemplificado logo no seu primeiro episódio, quando começa a frequentar a terapia presencialmente e recebe olhares tortos e desconfiados. “Um personagem desses fazendo terapia, que é visto como um lugar elitizado e de que só faz terapia quem é louco, vendo esta figura marginalizada por si só, neste lugar, é muito fundamental. É importante a gente normalizar isso”, afirmou.

E mesmo que o processo para este papel tenha sido diferente do habitual, o ator não deixou de buscar a humanidade deste personagem. “Em todos os trabalhos que faço, eu busco deixar aquela figura cada vez mais humana. Porque só assim a gente consegue olhar de uma forma mais carinhosa e levar este personagem para um lugar de reflexão e não de julgamento”, disse. “Estamos falando de classe social, de racismo, de pessoas que estão sendo inviabilizadas. Esta profissão de motoboy, somadas as profissões que mais estiveram em desvalorização na pandemia, foi uma das mais essenciais que a gente viu. É uma contradição”, completou.

“Um presente”

Dirigida e estrelada por Selton Mello, Sessão de Terapia acompanha diversos personagens que tratam as suas questões pessoais no consultório de Cario. Para Christian, ser dirigido e atuar ao lado do ator fez toda diferença. “O Selton foi um presente na vida por vários motivos. Ele sabe como é estar do outro lado. Ele provoca, entende onde você quer chegar e também onde você pode chegar. No momento à flor da pele, saiu muita coisa nova que ninguém esperava e ele abraçava de uma maneira surreal.”

Com apenas 15 anos, Christian filmou o seu primeiro papel no cinema. Em Sócrates, o jovem precisa lidar com a morte de sua mãe ao mesmo tempo que tenta sobreviver na realidade da miséria, somado com o preconceito por ser homossexual. Segundo o ator, o longa foi uma grande escola para sua vida. “Eu não sabia de nada quando cheguei ali. Era um personagem muito complexo e eu só fui no fluxo. Foi tudo muito genuíno, pois as questões do Sócrates me impactaram muito. Foi uma mistura muito louca.”

Por sua atuação em Sócrates, de Alex Moratto, Christian foi indicado como Melhor Ator no Independent Spirit Awards 2019, e em 2020 recebeu o prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) pela sua atuação no filme.

Christian começou a atuar com apenas 9 anos de idade no teatro, em Santos, São Paulo, e foi este lugar que o incentivou a seguir na carreira de ator. “Eu me apaixonei. Quando terminei uma oficina, que fiz escondido da minha mãe, eu pensei que era isso que eu queria. Aí eu fui atrás e comecei a estudar”, recordou e após ser flagrado pela mãe em uma de suas aulas, ele contou que ela o apoiou desde então. “Ela nunca falou ‘não’ para minha vontade de ser ator. Ela só tinha este medo ‘se isso ia dar dinheiro, se ia ter um futuro’, mas apoio dela tive desde o começo.”

Futuro

Além de Sessão de Terapia, disponível na Globoplay, Christian também poderá ser visto na segunda temporada de Sintonia, que tem previsão de estreia ainda este ano, e na série Colônia, do Canal Brasil. Entre os próximos projetos, o ator ainda tem um filme ao lado de Rodrigo Santoro para estrear na Netflix, em 2021, e a sua primeira comédia, Última Festa, de Matheus Souza, que ainda não tem data de lançamento. “Os trabalhos estão vindo aí com grande potência”, concluiu.

Um comentário

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s