Emicida: AmarElo – É Tudo pra Ontem é uma carta de amor à cultura negra brasileira

Emicida no show de estreia da turnê do álbum AmarElo

É muito simplório reduzir o documentário Emicida: AmarElo – É Tudo pra Ontem em apenas um registro do show de estreia da nova turnê do rapper, que ocorreu em outubro de 2019. Neste filme, que entrou recentemente no catálogo da Netflix, Emicida faz um resgate na cultura negra brasileira que, se ele está ali naquele palco do Theatro Municipal de São Paulo, é porque muitos outros negros e negras suaram e sangraram as mãos para que um evento como aquele acontecesse, então, mais do que nunca, é necessário que o Brasil conheça esta narrativa comandada por Leandro Roque de Oliveira.

AmarElo é um álbum estupendo. Foi o trabalho que me despertou para Emicida, de quem, apenas conhecia de nome. Quando ele lançou a faixa título com a participação de Pabllo Vittar, uma cantora do qual gosto muito, meu interesse por ele mudou. Não só virei fã do single, mas como quis ouvi-lo mais, e logo quando o disco chegou, eu tive noção do quão gigante Emicida é em suas composições. Um álbum que fala de amor, de luta, de superação, de grito, de vivências negras e, não menos importante, de esperança. Com o documentário, Emicida dá continuidade a esta ideia.

Com direção de Fred Ouro Preto, AmarElo – É Tudo pra Ontem entrega um conteúdo cheio de referências de cantores, compositores, poetas, arquitetos, atores, militantes, professores, todos pretos, que construíram a cultura nacional e que, claro, influenciaram a vida de Emicida. Fora que o cantor também faz um aulão sobre a escravidão no Brasil, fato que ainda é varrido para debaixo do tapete, e das suas consequências que existem até os dias de hoje. Inclusive, o filme ainda aponta como ainda olhamos para intelectuais e líderes de lutas antirracistas internacionais, como Angela Davis, por exemplo, e não olhamos com o mesmo interesse para brasileiros, como Lélia Gonzalez. O que não deixa de ser uma crítica a outras coisas que também consumimos mais lá de fora do que aqui.

AmarElo – É Tudo pra Ontem é uma carta de amor aos negros que estão na luta diariamente, que ainda lidam com o racismo e preconceitos ainda tão retrógados em um País que foi construídos pelos seus ancestrais. É uma homenagem aos militantes e artistas pretos que vieram antes e fizeram acontecer, se movimentaram para que não só Emicida, mas demais sonhadores possam ter este direito por um amanhã melhor. Porque como o próprio rapper diz em seu desfecho: “Todas as nossas chances de consertar os desencontros do passado moram no agora. Por isso, camaradas, é tudo pra ontem. “

Um comentário

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s