A Voz do Silêncio foca em dramas solitários e tenta dar esperança à realidade

A Voz do Silêncio, dirigido por André Ristum, foi o escolhido para dar largada oficial dos longas-metragens na Mostra Competitiva do 46º Festival de Cinema de Gramado na noite dessa sexta-feira.  Interligando diversas histórias de sete pessoas desconhecidas, o filme baixou o pique do público que a recém tinha assistido a estreia de O Grande Circo Místico no Brasil. Impregnando absolutamente uma tristeza crua da realidade, o filme tem objetivo de acompanhar o cotidiano destes personagens invisíveis aos olhos da sociedade. Desde do marido infiel, a mãe que sofre de alzheimer, a jovem que dança em um cabaret decadente até o solitário radialista, todos possuem um fio condutor que não os deixam desistir de seguir em frente com as suas pacatas vidas.

A Voz do Silêncio é um filme com o pé no chão e destaca o estado mais cru do ser humano. Digo isso, pois cada personagem possui uma sensibilidade que é invisível aos nossos olhos, mas está ali, escondido lá no fundo do peito. O momento de estagnação destes solitários batalhadores acontece na noite em que a população espera um eclipse vermelho. O que serve de simbolismo para o ponto de virada que salva a alma de cada pessoa. O que parece ser um alívio para a narrativa, mas foge do realismo que acompanhamos. Enquanto o cotidiano da tela é verossímil, o diretor dissimula um ciclo vicioso do pessimismo com uma discreta mudança do universo, que parece conspirar para que os personagens não percam a esperança.

O elenco está despido de qualquer vaidade e colocam à prova todo talento nesta história que pede uma atuação contida. O destaque fica para o ator Arlindo Lopes, que assume um personagem misterioso que desabrocha lindamente, assim como Stephanie de Jongh. Ela carrega um dos maiores dramas na história e consegue entregar um ótimo desempenho tendo que lidar com a mãe interpretada por Marieta Severo, mais uma vez majestosa no seu desempenho. Claudio Jaborandy representa fielmente o brasileiro batalhador ao dar vida a Odilon, um sujeito que sobrevive em dois empregos, mas sem deixar os estudos de lado.

A Voz do Silêncio tem previsão de estreia nos cinemas brasileiros em novembro de 2018.

Nota: ★★

• Filme assistido na 46ª edição do Festival de Cinema de Gramado 
• Texto escrito originalmente para o site do Correio do Povo

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s