Jim & Andy: The Great Beyond – Featuring a Very Special, Contractually Obligated Mention of Tony Clifton ★★★★

A noite de sábado estava fadada a terminar, mais uma vez, na roleta russa do Netflix e ficar naquele limbo de escolher um filme e nunca saber o que assistir. Ao abrir a página, o trailer de Jim & Andy: The Great Beyond – Featuring a Very Special, Contractually Obligated Mention of Tony Clifton começa a tocar involuntariamente e não demorou muito para que a aposta da noite fosse este documentário original da plataforma. Dirigido por Chris Smith, o longa trata de, basicamente, misturar duas biografias de comediantes de grande referência nos Estados Unidos: Andy Kaufman e Jim Carrey.

O primeiro foi um ator e comediante que durante os anos 1970 e 1980 estrelou a série Taxi e também se apresentava em stand ups onde extrapolava todos os limites possíveis do humor. Entre uma das suas bizarrices, era chamar mulheres para lutar com ele em ringues no meio dos seus shows. E acredite, elas respondiam ao chamado. Além disso, Kaufman também criou personagens irritantes e desagradáveis como Tony Cliffton. Já o segundo cresceu assistindo aos trabalhos de Kaufman e ali encontrou a sua vocação. Inspirado pelo humor do desconforto e que vira tudo de ponta cabeça, Jim Carrey tinha o sonho de se tornar tão famoso quanto o seu ídolo da infância. E não demorou até ser reconhecido por Hollywood e claro, seguindo a filosofia do primeiro comediante, Carrey não desperdiçava quando tinha a chance de ser tão desconfortavelmente criativo em público. Assim como viu a oportunidade de mergulhar na alma, literalmente, do seu herói quando o interpretou na cinebiografia O Mundo de Andy (1999). O que, até então, ninguém sabia era que de fato o ator era o próprio Kauffman durante aquele ano da produção do longa. Ele corrigia as pessoas quando não o chamavam de Andy, interpretou profundamente os seus personagens, provocava todos no set, e até mesmo proporcionou um reencontro com familiares de Kaufman.

Jim & Andy: The Freat Beyond é mais uma prova de como é possível entregar novas formas de contar histórias. Ao intercalar dois grandes nomes da comédia americana, o filme nos permite enxergar quem eram estes homens através de um documentário dentro de outro documentário. O longa relembra um documentário realizado nos bastidores de O Mundo de Andy produzido pela ex-namorada de Kaufman,  Lynne Margulies, e o roteirista e parceiro criativo, Bob Zmuda, em que registram a loucura que era trabalhar com Kaufman “reencarnado” em Jim Carrey na época. Até mesmo o próprio diretor da cinebiografia, Miles Forman, relatou o quão confuso estava dentro do set. Além disso, Carrey protagoniza a narrativa de Jim & Andy e expõe a sua intimidade e quanto trabalhar neste filme mudou a sua forma de viver a vida. Especialmente em Hollywood. Ele desabafa sobre as dificuldades da família antes de conquistar a fama, da saudades do seu pai e curiosidades da carreira, como as escolhas de alguns papéis combinarem exatamente com o momento da sua vida pessoal.  E claro, nisso tudo, ele conta como Kaufman influenciou o seu trabalho e com isso, vamos entendendo pouco a pouco, como Carrey se tornou um profissional único da indústria.

O grande triunfo do filme dirigido por Chris Smith é esta mescla de personalidades fortíssimas que se completam e que se explicam naturalmente ao público. Apesar de ser o único entrevistado do documentário, a presença de Jim Carrey é a única que importa, já que o filme caseiro de Lynne e Zmuda nos permite tirar as nossas próprias conclusões a respeito de todo o processo e se era real ou não, toda a aquela maluquice. Jim & Andy conversa com o público e nos instiga a refletir sobre a vida e de como, precisamos, sair fora desta caixinha diária que vivemos. Tirar férias de si mesmo foi uma das melhores coisas que Carrey fez na sua vida e que toda aquela jornada foi necessária para trazê-lo até aqui, com suas palavras doces e inquietas, fazer a minha noite de sábado valer a pena.

Jim & Andy: The Great Beyond – Featuring a Very Special, Contractually Obligated Mention of Tony Clifton (2017) | Direção: Chris Smith | Elenco: Jim Carrey, Andy Kaufman, Courtney Love, Lynne Margulies, Bob Zmuda, Danny DeVitto, Milos Forman, Hugh Hefnes, Peter Bonerz, Randall Carver, Tony Danza, Andy Dick | Gênero: Documentário | Nacionalidade: Estados Unidos | Duração: 1h34min

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s